Vale Mais Saúde

Acesse o Vale Mais Saúde

idpublicacao: revisita:

Tudo sobre os adoçantes

Quando os exames apontam o diabetes, muitas pessoas acreditam que estarão condenadas a não comer mais doces. Não é bem assim! É possível ingerir sobremesas, desde que elas tenham sido preparadas com redução calóricas, ou seja, com baixo nível de gorduras e, claro, substituindo o açúcar branco pelo adoçante.1

E é aí que pairam as dúvidas, afinal de contas, nas prateleiras dos supermercados é possível encontrar diversos tipos de adoçantes. O difícil é conseguir escolher o mais indicado. Mas, na hora de comparar os diversos produtos, é interessante saber que existem três formas de adoçar as receitas.1

Primeiro, é bom saber que os açúcares, sejam eles do tipo mascavo, da cana, de confeiteiro, frutose, mel e melaço, têm calorias e, como consequência, aumentam os níveis de glicose no sangue. Por isso, é preciso ficar atento para o consumo desse ingrediente, assim como alimentos que levam esses açúcares em suas composições.1

Já os adoçantes com calorias reduzidas, conhecidos como isomalte, maltitol, manitol, sorbitol e xilitol, têm cerca de metade das calorias de açúcares comuns e, mesmo assim, podem aumentar os níveis de açúcar no sangue, porém, em menores quantidades.1

Agora, quando você encontrar os adoçantes artificiais, saiba que eles são considerados "alimentos livres." O que significa que foram criados em laboratório, não têm calorias e não aumentam o nível de glicose no sangue.1

Lista dos adoçantes artificiais

Para você saber identificar melhor na hora de comprar o produto, conheça os tipos mais comuns encontrados nos supermercados.2

Sacarina: cerca de 300 a 700 vezes mais doce que a sucralose2, é indicado para consumo em preparações quentes e frias1. Apresenta um sabor amargo e metálico e é contraindicado para pacientes hipertensos, por conta do sódio na composição2.

Aspartame: é 150 a 200 vezes mais doce que o açúcar comum. O ideal é usar o aspartame no preparo de alimentos que serão pouco aquecidos, como gelatinas, pudins, achocolatados e recheios de bolos. Já em receitas que precisem de temperaturas muito elevadas, o adoçante perde o seu poder.1

Acessulfame-K: tem o poder de adoçar de 180 a 200 vezes mais que a sacarose. O sabor adocicado não reduz com o aumento da temperatura.1

Sucralose: extraído da cana de açúcar, o produto sofre uma modificação para não ser absorvido pelo organismo.3 Pode usá-lo em alimentos quentes e frios, incluindo no cozimento.1

Advantame: pode ser usado em assados, refrigerantes e bebidas não alcóolicas, chicletes, doces, sobremesas congeladas, gelatinas, pudins, compotas, geleias e sucos de frutas.1

E sobre a stevia?

Esse tipo de adoçante é um produto altamente purificado, que vem a partir da planta Stevia e é muito mais doce do que o açúcar. De acordo com a Food and Drug Administration (FDA), a stevia é reconhecida como segura para o consumo público.3

Viu como é possível comer sobremesas? Agora, com essa lista, você já sabe qual o melhor adoçante para as receitas que irá preparar.3

 

REFERÊNCIAS

1. Site WebMD. Disponível em http://www.webmd.com/diabetes/artificial-sweeteners-diabetes-patients. Última visualização em 4 de julho de 2016.

2. Site Manual do diabetes. Disponível em http://manualdadiabetes.com.br/qual-o-melhor-adocante-para-pessoas-com-diabetes/. Última visualização em 4 de julho de 2016.

3. Site American Diabetes Association. Disponível em http://www.diabetes.org/food-and-fitness/food/what-can-i-eat/understanding-carbohydrates/artificial-sweeteners/?referrer=https://www.google.com.br/. Última visualização em 4 de julho de 2016.

Veja mais em:

Conteúdos Relacionados