Vale Mais Saúde

Acesse o Vale Mais Saúde

idpublicacao: revisita:

Sintomas da doença de Alzheimer

Em cada uma das três fases da doença de Alzheimer (leve, moderada ou grave) o paciente apresenta diferentes sintomas. Seguem, abaixo, exemplos de sintomas característicos de cada um dos estágios da doença de Alzheimer.1

“Sempre que houver uma perda de memória que vá além do normal, que a pessoa não apresentava antes, e que gere uma interferência no dia-a-dia do indivíduo, é um sinal de alerta para que se averigue e pode se trata de um caso de Alzheimer.”

Dr. Rodrigo Rizek Schultz, neurologista, coordenador do ambulatório de demência grave da Universidade Federal de São Paulo e diretor cientifico da ABRAz – CRM 80.201

Estágio leve

O estágio leve da doença de Alzheimer raramente é percebido. Parentes e amigos (e, às vezes, os profissionais) veem isso como "velhice", apenas uma fase normal do processo do envelhecimento. Como o começo da doença é gradual, é difícil ter certeza exatamente de quando ela tem início. A pessoa pode:

- ter problemas com a propriedade da fala (problemas de linguagem);
- ter perda significativa de memória – particularmente das coisas que acabam de acontecer;
- não saber a hora ou o dia da semana;
- ficar perdida em locais familiares;
- ter dificuldade na tomada de decisões;
- ficar inativa ou desmotivada;
- apresentar mudança de humor, depressão ou ansiedade;
- reagir com raiva incomum ou agressivamente em determinadas ocasiões;
- apresentar perda de interesse por hobbies e outras atividades.

Estágio moderado

Como a doença de Alzheimer progride, as limitações ficam mais claras e mais graves. A pessoa com doença de Alzheimer em estágio moderado tem mais dificuldade no dia a dia. Uma pessoa com a doença nesta fase:

- pode perder a memória, especialmente sobre eventos recentes e nomes das pessoas;
- pode não gerenciar mais viver sozinha;
- ser incapaz de cozinhar, limpar ou fazer compras;
- pode ficar extremamente dependente de um membro familiar ou de um cuidador externo;
- necessita de ajuda para a higiene pessoal, isto é, lavar-se e vestir-se;
- a dificuldade com a fala avança;
- apresenta problemas como perder-se e de ordem de comportamento, tais como repetição de perguntas, gritar, agarrar-se e distúrbios de sono;
- perde-se tanto em casa como fora de casa;
- pode ter alucinações (vendo ou ouvindo coisas que não existem).

Estágio grave

O estágio grave da doença de Alzheimer é o mais próximo da total dependência e da inatividade. Distúrbios de memória são muito sérios e o lado físico da doença torna-se ainda mais evidente. A pessoa pode:

- ter dificuldades para comer;
- ficar incapacitada para comunicar-se;
- não reconhecer parentes, amigos e objetos familiares;
- ter dificuldade de entender o que acontece ao seu redor;
- ser incapaz de encontrar o seu caminho de volta para a casa;
- ter dificuldade para caminhar;
- ter dificuldade na deglutição;
- ter incontinência urinária e fecal;
- manifestar comportamento inapropriado em público;
- ficar confinada a uma cadeira de rodas ou cama.

A duração dos estágios é variável, havendo casos em que a evolução e piora do quadro clínico do paciente com doença de Alzheimer pode ser mais lenta, podendo ficar estável por um período maior ou, já em outros casos, é possível haver uma drástica evolução da doença, agravando os sintomas da doença de Alzheimer ao longo das fases. Existem, também, casos de pacientes que possuem surtos de piora dos sintomas, contudo mantendo-se estabilizados por um período posterior.


Referências

1. Site da Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz). Disponível em http://www.abraz.org.br/sobre-alzheimer/evolucao-da-doenca. Último acesso em 06 de junho de 2015.

Veja mais em:

Conteúdos Relacionados