Vale Mais Saúde

Acesse o Vale Mais Saúde

idpublicacao: revisita:

O papel do cuidador do paciente com a doença de Alzheimer

O familiar ou pessoa próxima que assume o papel de cuidador do paciente com a doença de Alzheimer é crucial para a contribuição da melhora de qualidade de vida tanto do paciente, quanto de sua própria.1

Os desafios diários ao lidar com tal tarefa, uma vez tomada esta responsabilidade, exigem que o cuidador do paciente com a doença de Alzheimer esteja ciente das condições de saúde daquele que passará a cuidar, a fim de munir-se com o máximo de informações sobre os cuidados necessários com seu paciente.

“Em muitas famílias há poucas pessoas interessadas e dispostas a cuidar de alguém com a doença de Alzheimer. Porém, a adesão ao tratamento é mais fácil quando se tem um vínculo com diversas pessoas que podem exercer o papel de cuidador, dividindo tarefas e responsabilidades. Assim, é preciso cativar, conversar, falar com a família e cuidador, conscientizá-los sobre o quanto é importante engajar-se e acompanhar o tratamento do paciente. O cuidador precisa ser conscientizado mais do que o paciente, porque em geral é ele quem tem que aderir mais ao tratamento. Os pacientes geralmente não criam tanta resistência.”

Dr. Rodrigo Rizek Schultz, neurologista, coordenador do ambulatório de demência grave da Universidade Federal de São Paulo e diretor cientifico da ABRAz – CRM 80.201

Cuidados com o Cuidador: inversão de papéis

Cuidar de alguém com a doença de Alzheimer implica grande impasse psicológico, especialmente quando esse problema é progressivo e se tem ciência das inúmeras responsabilidades que, a partir de algum momento, terão que ser assumidas por aquele que será responsável pelos cuidados – especialmente quando o paciente é alguém da família.2-4

Inúmeros são os sentimentos que podem emergir a partir daí – como impotência, negação, revolta, culpa -, mas é importante que o cuidador tenha agumas coisas em mente para que possa cuidar de si próprio e pode continuar ajudando o paciente/familiar com a doença de Alzheimer.2-4

Contudo, vale sempre lembrar que o ganho final de estar perto do paciente com doença de Alzheimer pode ser inenarrável para o cuidador. Uma oportunidade de ficar mais perto de quem se ama e também a oportunidade de crescimento.

Para saber mais, a Novartis, disponibiliza gratuitamente o Guia do Cuidador, material que pode ser acessado na íntegra aqui.


Referências

1. ABRAz. A tarefa de cuidar. Disponível em http://abraz.org.br/orientacao-a-cuidadores/cuidados-com-o-familiar-cuidador/a-tarefa-de-cuidar. Acesso em fevereiro de 2016.
2. ABRAz. Seleção do familiar-cuidador. Disponível em http://abraz.org.br/orientacao-a-cuidadores/cuidados-com-o-familiar-cuidador/a-tarefa-de-cuidar. Acesso em fevereiro de 2016.
3. ABRAz. Cuidados com o familiar-cuidador. Disponível em http://abraz.org.br/orientacao-a-cuidadores/cuidados-com-o-familiar-cuidador/a-tarefa-de-cuidar. Acesso em 11 de fevereiro de 2016.
4. ABRAz. O estresse do cuidador. Disponível em http://abraz.org.br/orientacao-a-cuidadores/cuidados-com-o-familiar-cuidador/a-tarefa-de-cuidar. Acesso em 11 de fevereiro de 2016.

Veja mais em:

Conteúdos Relacionados