Vale Mais Saúde

Acesse o Vale Mais Saúde

idpublicacao: revisita:

Dicas para seguir o tratamento corretamente


Em primeiro lugar, o paciente deve ter, em qualquer circunstância, acesso às formas de tratamento, seja na rede particular; por meio de convênios e planos privados de saúde ou pelo SUS (Sistema Único de Saúde). O acesso ao tratamento abrange consultas médicas, exames, internações e intervenções cirúrgicas (quando necessário).

A partir da consulta médica e realização do diagnóstico, é importante que o paciente tenha acesso ao máximo de informações sobre a enfermidade. O domínio sobre o assunto interfere na consciência do paciente sobre a sua condição e ajuda sobremaneira nos cuidados que será necessário ter daí em diante.

Outro aspecto que auxilia a adesão ao tratamento é o estabelecimento de uma relação de confiança entre o paciente e o médico, além dos demais profissionais da área da saúde. Confiar nas informações destes profissionais é essencial, pois do contrário, o doente não acredita na necessidade de se tratar adequadamente.

Justamente por exigir uma mudança completa de hábitos e estilo de vida, além do fato de que tais tratamentos são sempre de longo prazo, é praticamente impossível que um paciente siga-os corretamente sem que haja confiança nos profissionais envolvidos, no diagnóstico dado e no tratamento prescrito.

Por fim, e não menos importante, entra o papel da família, que exerce um papel fundamental na adesão ao tratamento. A mudança de hábitos alimentares e estilo de vida, em geral, requer adesão familiar.

Por exemplo, em uma casa onde há uma pessoa com diabetes, é extremamente difícil lidar com maus hábitos alimentares dos demais moradores (consumo excessivo de alimentos proibidos, tais como doces, massas e outros, pelos demais membros da família), que podem aguçar a vontade do paciente em quebrar regras do tratamento. Ou seja, não é bom deixar tais alimentos fazerem parte da rotina da casa.

Outra forma de a família ajudar é tornando o estilo de vida de todos mais saudável, incluindo em seu dia-a-dia atividades esportivas nos momentos de lazer. Nesse caso, um estimula o outro a cuidar do corpo.

O apoio e a conscientização dos familiares é peça-chave neste processo de adesão ao tratamento!

O que fazer em caso de dificuldades com o tratamento

Mais uma vez, manter um diálogo aberto com o seu médico e estabelecer uma relação de confiança é uma ótima forma de vencer as dificuldades com a adesão ao tratamento.

Como?
É importante que o paciente reporte ao médico todas as dificuldades que venha a encontrar para a adesão aotratamento, desde inadaptação aos novos hábitos alimentares e esportivos até efeitos adversos dos medicamentos prescritos. Dentro das possibilidades, os profissionais da área da saúde irão fazer adequações para minimizar e reverter o quadro.

Além disso, há casos em que um apoio psicológico é bem-vindo! Tal profissional pode auxiliar tanto pacientes cujas doenças tenham sintomas e consequências de ordem mental como também problemas de outra ordem, haja visto que todas as doenças crônicas exigem uma nova postura diante da vida.

Geralmente há, ainda, uma série de associações de pacientes, especializadas em um determinado tipo de doença, que podem ser fortes aliadas para ajudar a vencer as dificuldades de suas respectivas formas de tratamento.

Tais associações possuem sites com informações de qualidade sobre a doença que representam. Além disso, promovem eventos, fomentam discussões entre pacientes para promover a sociabilidade e a troca de experiências, podem indicar profissionais da área da saúde, possuem canais de dúvidas e respostas à perguntas frequentes, entre outras ações de auxílio.