Vale Mais Saúde

Acesse o Vale Mais Saúde

idpublicacao: revisita:

Diagnóstico da DPOC

Como alguns dos sintomas iniciais da DPOC são leves e facilmente confundidos com características naturais do envelhecimento, não é raro que as pessoas com a doença pulmonar obstrutiva crônica demorem a procurar um médico para diagnosticar o problema. De acordo com dados da Associação Brasileira de Portadores de DPOC, a DPOC não é identificada em cerca de 50% dos casos e é diagnosticada de forma errada em aproximadamente 23% dos casos.1

O atraso no diagnóstico pode fazer com que os sintomas da DPOC se agravem progressivamente, complicando o quadro do paciente e suas perspectivas de qualidade de vida. Por isso, o diagnóstico da DPOC, assim como o seu tratamento precoce, são fatores importantes para o paciente.

“Quando falta o ar, converse com seu médico. O diagnóstico de DPOC é simples e existem recursos para trazer o fôlego de volta.”
Dr. Frederico Fernandes, Médico Pneumologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) – CRM 97.404

Para o diagnóstico da DPOC o médico faz uso dos recursos diagnósticos descritos abaixo.

- Avaliação do quadro de saúde e histórico familiar do paciente:2-3 como o principal fator para o desenvolvimento da DPOC é o cigarro, este é o primeiro fator que o médico busca saber – se o paciente fuma ou fumou, ainda que de forma passiva (ou seja, inalando a fumaça de terceiros). O médico também irá avaliar a exposição a outras causas da doença pulmonar obstrutiva crônica, como fumaça e poluição. Por fim, o médico busca conhecer o histórico familiar, para saber se há casos de DPOC na família (já que pode haver um componente genético) ou de outras doenças respiratórias crônicas, como a asma, que podem apresentar sintomas parecidos. O médico também deve auscultar o pulmão do paciente, ou seja, ouvir a respiração com ajuda do estetoscópio.
- Espirometria: 2-3 é um exame necessário para o diagnóstico da DPOC. A espirometria mede a capacidade pulmonar (em geral, antes e depois da administração de medicamentos, para avaliar se há resposta do paciente ao uso deles). A espirometria é indolor, e consiste no paciente assoprar o ar em um bucal, ligado a um equipamento capaz de medir a função pulmonar. O teste possibilita detectar tanto a doença pulmonar obstrutiva crônica quanto presença de outras doenças que causam danos à capacidade respiratória, como asma e fibrose pulmonar.
- Radiografia de tórax:3 não é utilizada para diagnosticar a DPOC propriamente, porém, permite afastar a suspeita de outras doenças, como insuficiência cardíaca e neoplasia pulmonar.
- Tomografia computadorizada de tórax:3 é indicada apenas em alguns casos, quando há suspeita da presença de bolhas ou dilatações dos brônquios (bronquiectasias) no pulmão.
- Avaliação gasométrica e do pH:3 mede o nível de oxigênio no sangue. Dependendo do nível de oxigenação do sangue, o médico pode recomendar o uso de oxigênio domiciliar contínuo. O exame, também chamado de gasometria, deve ser repetido periodicamente e sempre que houver exacerbação.

Teste rápido para avaliar a probabilidade da DPOC

Através de um questionário simples, com cinco perguntas, é possível avaliar a probabilidade de uma pessoa ter ou estar sob maior risco de desenvolver a DPOC. Quem responder “sim” a três ou mais perguntas abaixo deve procurar um médico pneumologista para averiguar a possibilidade de diagnóstico da doença pulmonar obstrutiva crônica.

1.Você tem 40 anos ou mais?
2.Você tosse diariamente ou na maioria dos dias?
3.Você apresenta expectoração de muco ou catarro na maioria dos dias?
4.Você acha que se cansa mais que as outras pessoas com a mesma idade na realização da mesma tarefa?
5.Você é ou foi fumante?

DPOC vs. ASMA

Apesar de alguns sintomas da DPOC serem facilmente confundidos com os sintomas da asma – já que as duas doenças são pulmonares crônicas e podem apresentar sintomas como falta de ar, chiado ao respirar (sibilo), tosse e aperto no peito – alguns sinais possibilitam aos médicos diferenciar o diagnóstico da DPOC e da asma, como a fase da vida em que os sintomas se iniciaram e também a causa dos sintomas.1


Referências

1.Site da Associação Brasileira de Portadores de DPOC. Disponível em http://www.dpoc.org.br/perguntas-frequentes.Último acesso em 02 de agosto de 2015.
2.II Consenso Brasileiro sobre Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC – 2004 – Jornal Brasileiro de Pneumologi. Disponível em: http://www.jornaldepneumologia.com.br/PDF/Suple_124_40_DPOC_COMPLETO_FINALimpresso.pdf. Último acesso em 02 de agosto de 2015.
3.Site da National Heart, Lung and Blood Institute. Disponível em:http://www.nhlbi.nih.gov./health/health-topics/topics/copd/diagnosis. Último acesso em junho de 2015.

Veja mais em:

Conteúdos Relacionados