Vale Mais Saúde

Acesse o Vale Mais Saúde

idpublicacao: revisita:

Causas da epilepsia

Nem todas as causas da epilepsia são de origem conhecida1, embora haja inúmeras causas já determinadas que expliquem o quadro clínico dos pacientes.

“Segundo estudo realizado em Manchester, nos Estados Unidos, uma em cada 26 pessoas irão desenvolver epilepsia durante a sua vida.2

Maria Luiza G de Manreza, doutora em neurologia, médica e professora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – CRM-SP 17097

Entre as causas da epilepsia já conhecidas estão:3-5

“As pessoas com maior probabilidade de terem epilepsia são aquelas que têm história familiar de epilepsia ou algum evento prévio que possa ter lesado o sistema nervoso central. Algumas famílias têm uma predisposição para apresentar crises epilépticas ou epilepsias. As epilepsias geneticamente determinadas são as formas mais comuns de epilepsia e podem ocorrer em todas as faixas etárias. Em relação aos fatores adquiridos que mais comumente estão relacionados à epilepsia podemos lembrar os eventos hipóxicos isquêmicos como a anóxia neonatal, os traumatismos crânio encefálicos, as infecções do sistema nervoso central como as meningoencefalites, etc. Nos idosos é importante ressaltar os acidentes vasculares cerebrais e a demência.6

Maria Luiza G de Manreza, doutora em neurologia, médica e professora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – CRM-SP 17097

Quem está sob maior risco de ter crises de epilepsia

A incidência da epilepsia é maior em crianças e idosos, apesar de poder se manifestar em pessoas de qualquer idade, em consequência da diversidade de suas causas.7

“Todos os estudos epidemiológicos referem que as crises epilépticas e as epilepsias são mais comuns nos extremos da vida, ou seja, em crianças especialmente menores de dois anos de idade e nos idosos.”8

Maria Luiza G de Manreza, doutora em neurologia, médica e professora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – CRM-SP 17097

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 80% das pessoas com epilepsia vivem em países de renda baixa ou média3. Muitas pessoas em localidades mais pobres ficam sem diagnóstico e tratamento, inclusive por conta de estigmas associados à epilepsia e a outros transtornos mentais.9,10

IMPORTANTE

Alguns fatores de risco que podem ocasionar crises epilépticas podem estar relacionados a hábitos pouco saudáveis, como, por exemplo: uso abusivo de álcool, drogas e outras substâncias tóxicas.


Referências

1. Site MedlinePlus. Disponível em: http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/epilepsy.html. Último acesso em 11 de junho de 2015.
2. Hesdorffer DC, Logroscino G, Benn EK, Katri N, Cascino G, Hauser WA. Estimating risk for developing epilepsy: a population-based study in Rochester,Minnesota. Neurology. 2011 Jan 4;76(1):2
3. Site do National Institutes of Health (NIH). Disponível em http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/spanish/ency/article/000694.htm. . Último acesso em 20 de junho de 2015.
4. Site DMedicina. Disponível em: http://www.dmedicina.com/enfermedades/neurologicas/epilepsia.html. Último acesso em cesso em 20 de junho de 2015.
5. Site da Academia Brasileira de neurologia (ABN). Disponível em: http://www.cadastro.abneuro.org/site/publico_epilepsia.asp. Último acesso em cesso em 20 de junho de 2015.
6. Pugh MJ, Knoefel JE, Mortensen EM, Amuan ME, Berlowitz DR, Van Cott AC. New-onsetepilepsyriskfactors in olderveterans. J AmGeriatr Soc. 2009 Feb;57(2):237-42.
7. Site HealthLine. Disponível em: http://www.healthline.com/health/epilepsy/facts-statistics-infographic#1. Último acesso em 11 de junho de 2015.
8. Helmers SL, Thurman DJ, Durgin TL, Pai AK, Faught E. Descriptive epidemiology of epilepsy in the U.S. population: A different approach. Epilepsia. 2015 Jun;56(6):942-8.
9. Site da Organização Mundial da Saúde. Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs999/en/. Último acesso em cesso em 11 de julho de 2015.
10. 10. Site da Revista de Psiquiatria Clínica. Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs999/en/. Último acesso em cesso em 20 de junho de 2014.

Veja mais em:

Conteúdos Relacionados